6 de novembro de 2014

A felicidade mora longe.
Ela se clandestina da gente.
Quem sabe um dia bate à nossa porta?!

Nenhum comentário: