3 de julho de 2011

Fala, menina, fala

Fala, menina, fala. Que seu silêncio dói-me o peito pior que um soco. Não diz nada e desvia o olhar para não dar bandeira. E de quê? Sai de perto para não ser tocada. E por quê?

Chora, menina, chora. Que segurar tanta dor sozinha não dá em nada. Chora, que é a melhor forma de se aliviar.

E por que me maltrata tanto? Por que não me diz o que sente? Pois saiba que também confundo meus sentimentos e também não sei o que quero. E isso também me dói.

Saiba ainda que tem mais pessoas no mundo gostando da mesma bebida que você e eu e querendo beber no mesmo cálice.

Também quero todo esse carinho que me oferecem. E não vejo erro em aceitá-lo.

Fala, menina, fala. Pois se me pedir, não faço!

2 comentários:

Carol Ornellas - Caronella disse...

Ando precisando falar que tá dolorido, viu.
Belo texto, me fez bem lê-lo agora.
Beijos!

Odair Ribeiro disse...

Outra pessoa se metendo rsrsrsrss

Abraço.

Inté! Mas volto!.